Como pessoas aparentemente inteligentes podem fazer coisas absurdas e idiotas?

Eita! Olha o preconceito! Rs. Mas vamos lá.

Você já deve ter se perguntado isso em algum momento esse ano, esse mês, hoje…

A questão sobre a aparente inteligência das pessoas e o que isso significa em termos de atitudes é controversa até na Psicologia enquanto campo da ciência, mas há pontos de convergência entre as abordagens…

Explico isso contando de uma discussão de um professor meu que estudava o Quociente de Inteligência e trazia dados que outros professores, de abordagens, digamos mais culturais e sociais discordavam aberta e enfaticamente.

E por que isso acontece? Acontece porque o que chamamos de inteligência não é um conceito unânime. E mesmo inteligência não se resume hoje em QI, em anos de estudo, construção de habilidades e competências, em ter caráter inato ou criado ao longo das experiências de vida. Tem tudo isso e tem também temperamentos, personalidades, contextos, criação, exposição ao diferente, ou novo.

Então o que você chama de inteligência é o quê? O que você chama de idiota é o que? A construção da realidade vai tambem por ser uma experiência legitimada ou não pelas pessoas ao redor e situadas num determinado contexto histórico.

Tomar vacina é um ato inteligente? Eu penso que é! Precisa de estudo pra isso? Eu acredito que não, nem ter feito muitos anos de escola. A ciencia tem um tanto de vieses e que muitas vezes se contradiz? Tem. Quem produz ciência é mais inteligente que quem não produz? Não.

A questão também passa pelas consequências das decisões na coletividade e no tempo. Se a gente pega essa questão da vacina. A ideia de vacina é criar imunidade entre as pessoas para uma doença. Nem todo mundo precisa estar vacinado para uma doença ser erradicada. Precisa de um grupo grande o suficiente que banque tomar vacina e proteja um outro grupo menor e geralmente mais vulnerável. É inteligente tomar vacina, porque você se garante e garante a sua contribuição para a imunidade dos mais vulneráveis. E ao longo do tempo podemos erradicar algumas doenças. Já fizemos isso.

Então o que acontece?

Acontece que temos uma população que aumentou seu acesso ao consumo, mas não à produção de conhecimento. Temos pessoas com profundas dificuldades de percepção e integração das informações disponíveis, grande número de fake news, e uma ciência tão científica que esqueceu como falar na língua corrente. Esqueceu de contar o que faz. Fechou-se em si mesma.

A Ciência, enquanto instituição criou um tanto de regras para atestar e defender a produção de conhecimento. Conhecimento esse que não difere do senso comum em termos de valor, mas se diferencia em termos de minucia das informações produzidas e aplicação de um método que precisa da chancela de outras pessoas.

O problema é a comunicação desse conhecimento criado e o acesso das pessoas à escolha de como agir e se responsabilizar sobre isso.

Ou seja fazer coisas idiotas todos podemos fazer, mas temos enquanto grupo cultural pouca habilidade em assumir responsabilidade sobre qualquer coisa que fazemos. Seja idiota ou inteligente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s