Entre Famílias e Redes de Apoio

Publicado em Deixe um comentário

Redes de Apoio.

O que é isso? Eu vou explicar fazendo uma comparação com redes do nosso cotidiano.

Para e pensa comigo!

Sabe rede? Que tem linhas e nós e que se ligam um ao outro? Que são tecidas pelos pescadores, ou rede de pendurar na varanda, a própria internet é uma rede que conecta pessoas.

Então, do meu ponto de vista e para e penso: todas elas podem servir como ferramenta e também pra descansar…

Se a gente olhar e a gente vai ver que ela pode ser feita de diferentes tecidos, linhas barbantes, são maleáveis, mas que de uma maneira ou de outra, oferecem algum grau de firmeza, segurança, sustentação, um certo toque de beleza. Uma rede bem rendada é bonita de se ver!

Nossa rede de apoio serve da mesma maneira. como ferramenta e descanso. Oferecem recursos Para a gente lidar no nosso dia a dia. Oferece abraço estamos cansados. Tem conexões e tem buracos.

Hoje o tema é rede de apoio porque é uma palavra que está muito ligada com a ideia de família. Mas não tem o mesmo significado. Esses tempos eu estava falando com uma pessoa que ao mesmo tempo em que descrevia sua rede de apoio. Começou pelos pais, parentes, amigos, conhecidos. Ela descartava algumas pessoas, por não ter boa relação com elas.

Eu gosto muito de pensar em ferramenta que oferece recurso e descanso para pensar rede. Sem pensar muito, nem todas as pessoas que convivemos são nós firmes na nossa rede. Ou fazem parte dela. E Nem todos os nós da nossa rede são perfeitamente amarrados entre si. Alguns são mais centrais, outros mais distantes, da mesma maneira, algumas pessoas de nossa rede de apoio são mais próximas, mais flexíveis, mais abertas para acolher a gente enquanto outras são mais distantes, rígidas, nos acolhem com restrições.

Eu vou dar um exemplo de um trabalho que venho desenvolvendo. O Gestando famílias. Um curso para Gestantes e seus Familiares.

A ideia do curso é repensar redes de apoio da família que está sendo gestada. algumas pessoas torcem o nariz para algumas ajudas de mães, sogras, pais, irmãos, por considerarem sufocantes. ficam chateados de não poderem contar com alguns amigos, ou não conseguirem encontrar como antes da gestação porque o ritmo e a rotina mudaram. Essas mesmas pessoas mas aceitam presentes, conversas casuais, um agrado pro bebê, um conselho. a conta e se rompe, do mesmo modo que um buraco muito grande na rede também não sustenta ninguém. E isso que é interessante de pensar na nossa rede de apoio. Nesse costurar de relações que a gente faz no dia a dia a gente se fortalece e fortalece a nossa rede. Você já pensou nisso? Já parou pra pensar na sua rede de apoio? Quem faz parte dela? Quem não faz?

que a gente faz no dia a dia a gente se fortalece e fortalece a nossa rede. Você já pensou nisso? Já parou pra pensar na sua rede de apoio? Quem faz parte dela? Quem não faz?

Transcrição do texto veiculado no Podcast Para e Pensa no dia 02/10/2019, de autoria de Fernanda de Sousa Vieira

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.